19
Dom, Ago

França vence a Croácia por 4x2 e conquista o bicampeonato na Copa do Mundo FIFA 2018

Rússia 2018
Tipografia

Os azuis, comandados pelo técnico Didier Deschamps, tentavam repetir o feito de 1998 e levar o bicampeonato para a casa.

 

 

Beneficiando-se de uma chave mais fácil, a Croácia fez sua primeira final e, mesmo com a derrota, conquistou sua melhor colocação desde também em 1998, quando pegou o 3º lugar.

Esta é apenas a quinta Copa disputada pelos croatas, dada a jovialidade do país: até 1991, a Croácia era parte da Iuguslávia (juntamente com a Bósnia e Herzegovina, Macedônia, Montenegro, Sérvia e Eslovênia).

O placar da partida foi aberto com um auto-golo contra. O atacante francês Antoine Griezmann tentou vencer a forte marcação croata e caiu pedindo falta de Marcelo Brozović. Na cobrança na entrada da área, a bola passou por Varane e resvalou na cabeça do croata Mandzukic, deixando os franceses à frente no placar.

O golo de empate da Croácia veio com uma bomba de Perisic, depois de um lance limpo de Vida. Foi 70º golo de bola parada nesta Copa, uma marca da edição russa.

O jogador, que tinha tudo para se tornar o herói da partida, se tornou algoz logo depois: com um toque de mão na pequena área, Perisic foi o causador de um penalte validado apenas após longa consulta do juiz argentino Nestor Pitana no VAR. Antoine Griezman converteu e fez 2x1, colocando os azuis à frente do placar mais uma vez.

A partida teve de ser interrompida aos 7 minutos do 2º tempo com a invasão de campo por três adeptos. Eles foram rapidamente retirados do terreno do jogo, mas interromperam o arranque de Ivan Rakitić.

Nada que perturbasse, porém, a concentração dos franceses que fizeram o terceiro golo com Pogba. 

A vantagem foi ampliada pelo jovem camisa 10 Mbappé, de apenas 19 anos, que bateu forte no canto e fez 4º contra os croatas.

Com um vacilo de Lloris, que tentou driblar Mandzukic, os croatas diminuíram a vantagem. O atacante tomou a bola e rematou direto para o golo, levando os adeptos em Moscou à loucura.

Mas não teve jeito. Com 7 vitórias em 7 jogos,  a seleção francesa impôs a superioridade e repetiu o feito de 1998. É o bicampeonato para os "azuis".

 

TN - Redação