24
Qua, Abr

Dia Mundial do Desenhador: Conheça Jerson Varela e a vida entre o desenho e a sala de aulas

Miradouro
Tipografia

Celebra-se hoje, 25 de abril, o Dia Mundial do Desenhador em memória do nascimento de Leonardo da Vinci em 1452, como forma de homenagear todos os desenhadores. O Jornal Terra Nova foi conhecer o desenhador e professor Jerson Varela e a sua vida entre o desenho e a sala de aulas.  

Que lugar ocupa o desenho na tua vida? É só um passa tempo?

O desenho ocupa um lugar de destaque em minha vida. Não constitui, de modo algum, um passa tempo, pois a arte para mim é algo sério e muito importante. Desde que me conheço por gente, ela me fascina profundamente. E considero que o meu talento é uma dádiva divina. Por isso, agradeço a Deus por esta dádiva. O desenho é sem dúvida a minha grande paixão. Através dos elementos visuais – pontos, linhas, manchas e cores, com as mais variadas técnicas e meios adequados é possível expressar as nossas ideias e dar asas à nossa imaginação. O desenho permite-nos comunicar, criar, descobrir ou organizar. Está na base da pintura, escultura, arquitetura, design, etc. e é usado de uma forma geral em todo o trabalho artístico. Gosto do desenho, independentemente do ramo em que se divide, desde o artístico, técnico, geométrico, mecânico, arquitetónico, etc. 

Daria para viver só de desenho? 

Na minha opinião, infelizmente em Cabo Verde não dá para viver somente do desenho. Da experiência que tenho, vejo que muitas pessoas não têm ainda a consciência do seu valor, vem-no apenas como um capricho, um passa tempo ou simplesmente algo bonito. É preciso educar as pessoas nesse sentido, despertar nelas o gosto e a sensibilidade para a arte. Desenho é arte e arte é cultura e cultura é vida, é algo valioso e não um passatempo ou capricho. Por outro lado, os materiais artísticos são caríssimos, dificultando o acesso dos mesmos por parte dos potenciais artistas. Estatisticamente falando são poucos os artistas em Cabo Verde que vivem exclusivamente da arte e, dos poucos que vivem, tiveram que fazer um árduo percurso, expondo e vendendo os seus trabalhos a um preço muito abaixo da tabela do mercado, conquistando paulatinamente tanto o mercado nacional como internacional até a obtenção do devido reconhecimento.

Desenha desde que idade e como aprendeu? 

Desenho desde os meus cinco anos de idade. Portanto tenho vindo a desenhar durante uma vida inteira, mais concretamente 35 anos de estrada. Em matéria de desenho sou um autodidata, aprendi observando, pesquisando e principalmente praticando e descobrindo várias técnicas. Porém, durante o meu percurso de desenhador, sempre mantive contacto permanente com outros desenhadores e artistas em que trocamos experiências. Nessa interação, sempre se aprende algo novo. Como sou professor, desenho mais nas horas vagas e aos fins-de-semana, pois a profissão docente é muito exigente e demanda tempo e preparação. 

Também é professor de desenho e língua portuguesa. Como é a relação entre estas duas disciplinas? 

Para mim essa relação é algo natural, consigo conciliar a disciplina de Desenho com a de Língua Portuguesa perfeitamente. O facto de eu poder trabalhar com estas duas disciplinas constitui uma mais-valia para mim. Pode-se estabelecer relações de interdisciplinaridade entre ambas, nomeadamente em conteúdos como a banda desenhada e a publicidade. Gosto da literatura que também é outra minha grande paixão. Além de desenhar e pintar também gosto de escrever (particularmente poemas). Talvez muitas pessoas não consigam entender essa relação mas na minha perspetiva a arte da pena (6ª arte) e a 3ª arte se mesclam de forma harmónica. Pode-se pintar com palavras, assim como comunicar com imagens (desenhos, pinturas fotografias, etc.). Aliás “uma imagem vale mais do que mil palavras”.

Desenhar exige muita disciplina e concentração. Os jovens de hoje parecem ter perdido quer a disciplina quer a concentração. É verdade? 

Sim, é verdade. A nova geração tem perdido a capacidade de dirigir a atenção e o pensamento para uma tarefa em particular. Os jovens estão cada vez mais impacientes e desenhar requer de facto muita disciplina, concentração e paciência para se trabalhar e aperfeiçoar as técnicas. Estamos a viver na era digital, num mundo acelerado em que as pessoas não tem tempo para nada. As redes sociais cada vez mais roubam espaço, tempo e atenção aos jovens que só querem estar conectados. Assim, sobra menos tempo para os estudos e a dedicação à arte de uma forma geral.

O que diria a alguém que está pensando ser desenhador?

Para alguém que está pensando ser desenhador deixo uma mensagem de encorajamento, porque não é fácil viver exclusivamente desta arte. Até que se consiga o devido reconhecimento, as pessoas vão querer te explorar, nem sempre por maldade, mas por falta de conhecimento, muitas vezes. Entretanto, nunca se deve desistir dos sonhos, independentemente das barreiras ou dificuldades. Deve-se persistir nos objetivos, investir seriamente naquilo que se quer. Hoje em dia, por exemplo, o artista pode usar a plataforma digital (as redes sociais) para expor e divulgar os seus trabalhos, dando a conhecer a sua arte, conquistando potenciais clientes (eu tenho feito isto). Por outro lado, pode-se ministrar também cursos on-line de desenho ou outra arte. 

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS