12
Ter, Nov

Os oito alimentos que mais causam reações alérgicas

Saber Mais
Tipografia

 

A alergia alimentar é uma reação do sistema imunológico que ocorre imediatamente após a ingestão de um determinado alimento. O organismo reconhece algumas proteínas presentes como prejudiciais protege-se, libertando, por exemplo, a histamina, uma substância responsável pela inflamação.

As reações alérgicas podem acontecer mesmo que o contacto com o alimento tenha sido indireto (através do beijo, por exemplo). O problema pode desencadear sintomas leves (comichão ou inchaço) ou extremamente graves (anafilaxia, que pode levar à morte).

1. Leite

A alergia ao leite é mais comum em crianças e tende a desaparecer após os 5 anos de idade. Geralmente, o leite de vaca é o que mais provoca problemas, embora o leite de outros animais também possa desencadear uma reação alérgica. Os sintomas variam de pessoa para pessoa e incluem: comichão e inchaço na boca, vómitos, erupção cutânea e dificuldade para respirar.

 2. Ovos

Este alimento também afeta mais crianças e costuma desaparecer na adolescência. Normalmente a primeira manifestação alérgica surge no primeiro contacto com o ovo na dieta. A reação ocorre devido à proteína presente principalmente na clara (a gema também pode causar problemas). Se o ovo for bem cozido, o risco de provocar alergia é menor.

Os sintomas costumam ser leves, incluindo urticária (vergões vermelhos na pele), congestão nasal, vómitos e outros problemas digestivos.

3. Peixe

Entre as crianças, o peixe é a terceira causa mais comum de alergia, depois do leite e do ovo. Comummente a condição persiste na vida adulta. É importante ressaltar que ser alérgico ao peixe não significa que não se pode comer todas as espécies à venda nos supermercados.

Alguns manifestam alergia a salmão ou atum, mas não a frutos dor mar, como marisco e lagosta. Apesar disso, os especialistas recomendam evitar o consumo de qualquer peixe. Nestes casos, a reação costuma ser leve, com vómitos e diarreia, mas episódios de anafilaxia podem acontecer e levar à morte.

4. Soja

As crianças também estão mais suscetíveis a sofrer de alergia à soja. Normalmente o problema desaparece naturalmente, mas em alguns casos pode permanecer na vida adulta. Para este grupo de alérgicos, a atenção deve ser redobrada com alimentos industrializados, já que a soja é muito utilizada na sua composição. Entre os sintomas mais comuns estão: urticária, pele vermelha, dor abdominal, inchaço e comichão na boca.

5. Marisco

Assim como o peixe, a alergia a marisco, como crustáceos (caranguejo, lagosta e camarão) e moluscos, pode ser a apenas uma espécie e não a todas, e geralmente é para toda a vida.

A boa notícia é que, muitas vezes, a alergia, trata-se na verdade, de uma intolerância. Por isso, vale a pena estar atento à época do ano em que os sintomas aparecem pela primeira vez. No verão o marisco absorve o veneno das algas do mar (muito comuns nesta estação) que é libertado depois da cozedura, gerando problemas ‘alérgicos’.

6. Amendoim 

O amendoim é um dos alimentos que mais causam ataques alérgicos graves, desencadeando anafilaxia mediante contacto indireto ou quantidades muito pequenas. Algumas crianças podem superar o problema, mas este pode retornar mais tarde. Os sintomas mais comuns são reações na pele, falta de ar, rinite, formigueiro na boca e garganta e problemas digestivos.

7. Frutos secos

Frutas secos (nozes, castanha de caju, pistácios, avelã, sementes de girassol) são uma causa de alergia comum em crianças e adultos, devido às proteínas presentes nesses alimentos. O desaparecimento desta alergia é raro quem apresenta a alergia a amendoim está mais propenso também a apresentar reação alérgica a nozes, uma vez que as proteínas são as mesmas.

8. Glúten

A alergia ao glúten – também conhecida como doença celíaca – é uma reação a essa proteína, encontrada em alimentos feitos com trigo, cevada ou centeio. Os sintomas variam conforme a faixa etária, mas os mais comuns são náuseas e vómitos, gases, inchaço abdominal, diarreia e prisão de ventre.