16
Qua, Jan

As sete antífonas do 'Ó': celebrando o mistério da vinda de Jesus

Liturgia
Tipografia

De 17 a 23 de dezembro, durante a semana que precede o Natal, as sete antífonas que acompanham o cântico do Magnificat nas Vésperas da Liturgia das Horas, são composições poéticas que formam uma série conhecida como as “antífonas maiores”, comumente chamadas de “antífonas do Ó”, porque todas elas iniciam com a exclamação e invocação “Ó” dirigida a Jesus Cristo.

 

Embora sua origem não seja muito clara, estas sete antífonas seguramente já eram conhecidas e utilizadas na época do Papa Gregório Magno, em torno dos anos 600. Elas são uma série de invocações messiânicas, cada uma delas se concentrando num título messiânico diferente e particular:

Ó Sapientia –  Ó Sabedoria
Ó Adonai –  Ó Senhor;
Ó Radix Jesse – Ó Raiz de Jessé;
Ó Clavis David – Ó Chave de Davi;
Ó Oriens – Ó Oriente;
Ó Rex gentium – Ó Rei das nações;
Ó Emmanuel – Ó Emmanuel.

As sete antífonas retomam títulos messiânicos do Antigo e do Novo Testamento. A sétima invocação, Ó Emmanuel, é uma invocação exclusivamente cristã, pois somente os seguidores de Jesus reconhecem-no como “Deus connosco”. Em seu conjunto elas constituem-se num compêndio de cristologia, fruto da teologia e da grande pesquisa e reflexão cristológica dos padres da Igreja nos primeiros séculos. Pode-se afirmar que elas são uma rica expressão do princípio "lex orandi, lex credendi": a Igreja celebra o que ela crê, refletindo sua fé no contexto litúrgico.

Uma observação atenta da primeira letra de cada um dos títulos citados nas sete antífonas, consideradas na sequencia inversa, permite identificar a formação de um acróstico, que resulta numa expressão bem significativa em resposta às invocações no contexto do advento: ERO CRAS, que significa “serei amanhã” ou “virei amanhã”.

É possível observar também uma estrutura comum a todas as sete antífonas:

a) Cada antífona começa com uma invocação endereçada ao Messias através de um título messiânico;
b) Este título é ilustrado com referência a alguns atributos do Messias ou a algum evento crucial na história da salvação;
c) A antífona culmina com a súplica “Vem...”, e segue explicitando ainda mais as razões da súplica (salvar, acudir, libertar, mostrar o caminho...).

Apresentamos a seguir os textos integrais das sete antífonas traduzidos

17 de dezembro

Ó Sabedoria (Isaías 11: 2-3)
que saístes da boca do Altíssimo
e atingis os confins de toda a terra
E com força e suavidade governais o mundo inteiro:
oh, Vinde ensinar-nos o caminho da prudência!

18 de dezembro

Ó Adonai (Isaías 11: 4-5)
guia da casa de Israel, 
que aparecestes a Moises na sarça ardente
e lhe deste vossa lei sobre o Sinai
Vinde salvar-nos com o braço poderoso.

19 de dezembro

Ó Raiz de Jessé, ó estandarte (Isaías 11:1)
levantado em sinal para as nações, 
ante vós se calarão os reis da terra
e as nações invocarão invocarão misericórdia:
Vinde salvar-nos-nos! Libertai-nos sem demora!

20 de dezembro

Ó Chave de Davi,

Cetro da casa de Israel
que abris e ninguém fecha,
que fechais e ninguém abre:
Vinde logo e libertai o homem prisioneiro
Que nas trevas e na sombra da morte está sentado!

21 de dezembro

Ó Sol nascente justiceiro (Isaías 9:2)
resplendor da Luz eterna:
oh vinde e iluminai os que os que jazem nas trevas 
e na sombra do pedado e da morte estão sentados!

 

22 de dezembro

Ó Emanuel,

nosso rei e legislador, (Isaías 7:14)
esperança e salvador das nações,
Vinde salvar-nos,
Senhor nosso Deus.