23
Qua, Set

Liturgia para Celebração de Pentecostes

Liturgia
Tipografia

“Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio. Recebam o Espírito Santo”.

 

Organização - (Preparar: 7 velas e o Círio Pascal para a procissão de entrada; Bíblia para a procissão na Liturgia da Palavra)

 

ACOLHIMENTO

Animador: Sejam todos bem-vindos e sintamo-nos felizes por sermos contemplados com os dons do Espirito Santo, e enviados a todos os povos e nações para continuar a mesma missão que Jesus Cristo recebeu do Pai; para sermos discípulos missionários, numa Igreja em saída, e construirmos um mundo de justiça, unidade, igualdade e paz. A nossa Igreja há vários anos envia missionários e missionárias para várias partes do mundo e recebe também missionários e missionárias de vários lugares. Sejamos missionários com eles pela nossa oferta generosa e pela nossa oração. Acolhamos o Círio Pascal e as sete velas, cantando.

ATO PENITENCIAL

Animador: Nossa Igreja quer ser formadora, acolhedora e missionária, porém muitas vezes nos fechamos em nossas preocupações pessoais, no nosso mundo. Pedimos perdão a Deus por não atender ao chamado misericordioso do Pai e fechar as portas do nosso coração, não atendendo aos apelos do Espírito Santo e às necessidade missionárias da Igreja, cantando.

GLÓRIA

Animador: Glorifiquemos a Trindade Santa pelos dons e carismas, e a diversidade de serviços e ministérios que enriquecem a Igreja, cantando.

LITURGIA DA PALAVRA

Animador: Acolhamos a Palavra de Deus que garante a ação de Deus na história da humanidade e alimenta a comunidade na ação missionária na Igreja, cantando.

1ª Leitura: At 2,1-11

2ª Leitura: 1Cor 12,3b-7.12-13

Evangelho: Jo 20,19-23

REFLEXÃO

Hoje a Igreja celebra a festa de Pentecostes, realização da promessa de Jesus Cristo aos seus discípulos e discípulas. O Espírito Santo, que é o amor que une o Pai ao Filho, é partilhado com todos os que aderem a Jesus e o seu Reino, contemplando-os com uma diversidade de dons e carismas para o enriquecimento da Igreja viva e a transformação da sociedade. O Papa Francisco diz: “Não nos deixemos roubar o entusiasmo missionário”. Ele nos lembra que se a Igreja não for missionária não é a Igreja de Jesus Cristo. O Espírito missionário e profético é o grande DOM da Igreja e nos desafia a dar este testemunho. A Igreja nasce da missão e existe para a missão. Existe para os outros e precisa ir a todos.

Pentecostes se contrapõe, de certa maneira, a outro acontecimento simbólico da Bíblia Sagrada: a Torre de Babel (Gn 11,1-9). Enquanto que o Espírito Santo, sopro de vida, elo de unidade, protagonista da missão, proporciona o entendimento e a comunhão entre todos os povos, raças, línguas e nações, a torre de Babel expressa o caos, a confusão, o desentendimento, pois Babel é o símbolo da cidade deformada pela prepotência, pela autossuficiência, pela competição, pela linguagem dos interesses egoístas pessoais, grupais e corporativistas, gerando estruturas injustas, exploradoras e opressoras. Podemos constatar nitidamente estas duas realidades, estes dois caminhos, estas duas opções e seus correspondentes frutos no mundo de hoje.

Tanto na primeira leitura como no Evangelho, os Apóstolos estão reunidos. O Espírito Santo é o sopro de vida, renovação e união. Sem o Espírito Santo, Deus está distante; o Cristo permanece no passado; o Evangelho é uma letra morta; a Igreja uma simples organização; a autoridade, um poder opressor; a missão, uma mera propaganda que não atrai e não envolve; a celebração, um rito frio e vazio. Mas, no Espírito Santo o Cristo ressuscitado se faz presente, o Evangelho se faz força do Reino, a Igreja realiza a união, dinamiza a missão, tornando-se sal da terra e luz do mundo, o amor, a ternura e a misericórdia de Deus transformam as relações do ser humano com o próprio Deus, com os outros seus irmãos e irmãs e com todas as criaturas de Deus, produzindo a harmonia na Casa Comum, a nossa Mãe Terra.

A docilidade ao Espírito Santo nos move para o bem, ajuda a edificar a vida e nos proporciona o que o coração humano ardentemente deseja: a felicidade, a alegria, a vida, a paz, a realização, a salvação. No Cenáculo de nosso coração, de nosso lar, de nossa comunidade, com alegria e gratidão acolhamos todos os dias o dom precioso e indispensável do Espírito Santo.

PRECES DA COMUNIDADE

Animador: Neste dia em que terminam as festas pascais, tendo recebido o Espírito de filhos e filhas, dirijamos a Deus, com afeto filial, nossas preces, cantando: Envia sobre nós, Senhor,  o vosso Espírito.

1 – Iluminai Senhor o Papa Francisco, grande missionário da unidade e da paz, os bispos, consagrados e todas as lideranças de nossas comunidades, para que se deixem conduzir pelo Espírito Santo e sintam a alegria de servir, cantemos.

2 – Alimentai Senhor com os dons do Espírito Santo a todos os batizados, que deem testemunho do Evangelho e que nossa Igreja seja cada vez mais acolhedora, formadora e missionária, cantemos.

3 – Favorecei Senhor os pobres, excluídos e marginalizados, que encontrem força e junto com toda Igreja reajam contra este sistema desumano, perverso e excludente, cantemos.

4 – Fortalecei Senhor todos os missionários, principalmente os que atuam em nossa terra e aqueles da nossa terra que trabalham em outras terras, que sintam nosso apoio na missão, cantemos. 

OFERTÓRIO

Animador: Somos chamados e convidados a viver a generosidade e a gratuidade na missão da Igreja. A oferta de hoje será um gesto que damos para sustentar os projetos missionários de nossa Igreja em Moçambique e na Amazônia. Ofereçamos com alegria nosso compromisso missionário, cantando

PAI NOSSO: (rezado ou cantado de mãos dadas – sentido de unidade com a Igreja missionária)

COMUNHÃO

Animador: Receber o corpo e sangue do Senhor é comprometer-se com o seu projeto de amor pela humanidade. É participar ativamente da ação missionária da Igreja. Participemos da mesa do Senhor, cantando.

Para apagar o Círio Pascal – Irmãos e irmãs, na noite da Vigília Pascal. Aclamamos Cristo nossa luz e acendemos o Círio Pascal. Esta luz nos acompanhou nestes cinquenta dias. Hoje, dia de Pentecostes, ao concluir o tempo da Páscoa, o círio é apagado. Iluminados por Cristo, Luz do Mundo, fortalecidos pelos dons do Espírito, sejamos nós, também luz para o mundo, através de nossas boas obras e o nosso compromisso missionário.

 

BÊNÇÃO FINAL

 

Leia também: Pentescostes, da Festa da colheita à descida do Espírito Santo: sete coisas a saber