22
Sex, Jan

A grande realidade

Opinião
Tipografia

Se chegares de noite ao nosso pais, dizes: que lindo, cheio de luzes! Se chegares de dia, já muda um pouco a perceção. Ao veres grandes casas e prédios de luxo podes pensar: afinal, não é um país assim tão pobre. Mas, como se diz, as aparências enganam. 

Opinião de Frei Wilian Monteiro

Se queres conhecer bem este pedaço de terra no meio do oceano e o seu povo, então entra, nos bairros e assim poderás saber que por detrás dos prédios das avenidas, existe uma grande pobreza e sofrimento mas, também, existe uma enorme esperança. Esperança de que, um dia, tudo será diferente, tudo será melhor. 

Pessoas que lutam dia e noite para ter uma vida melhor e com mais dignidade, para darem aos filhos um pão de cada dia, jovens que abandonam os estudos, para trabalhar e ajudar nas despesas das suas famílias porque o salário dos pais, se tiverem um salário, não é suficiente, porque a maioria dos cabo-verdianos faz trabalho “txapu na mon”. Esta é a nossa realidade!

A vida aqui nos ensina que devemos lutar, a única coisa que cai do céu é a chuva. Se queres vencer na vida tens que acordar cedo para procurar o teu sustento. Mas há um problema, temos poucos recursos naturais e isso nos leva a abandonar o nosso querido e amigo país à procura de algo que é difícil de alcançar lá dentro.

Somos um povo de emigração, mas sem esquecer de onde viemos e o que queremos, isso leva a que, hoje, o nosso país esteja diferente, muito diferente em relação a 30 anos e isso deve orgulhar-nos. 

Meu povo cabo-verdiano, temos muito ainda a fazer, o nosso país precisa de nós, as nossas gentes precisam da nossa ajuda. Como dizem os militares: lutar é vencer! 

Continuemos a lutar porque um dia os nossos netos dirão: tenho orgulho dos meus avós porque lutaram sem descanso para transformar esse pedaço de terra e venceram.