19
Seg, Nov

1 de Novembro: feriado porque... Vamos à festa do Paraíso

Editorial
Tipografia

O dia de Todos os Santos já é celebrado na Igreja desde o século VII. Foi o Papa beneditino Bonifácio IV que quis que toda a Igreja celebrasse no mesmo dia de festa todos os santos do paraíso.

 

A origem desta festa é ainda mais antiga. No Seculo IV o Imperador ofereceu aos cristãos o famoso Panteão, em Roma, que era o templo dedicado ao Deus Júpiter Vingador. Ali o Papa consagrou a Igreja de Nossa Senhora Rainha de todos os Mártires para recordar todos os cristãos que tinham dado a vida por Cristo durante as perseguições. No entanto, com a liberdade da Igreja, o Papa Bonifácio achou por bem que celebrassem também aqueles santos que, do dia-a-dia viveram as grandes virtudes da fé, esperança e caridade em grau heroico mesmo sem terem derramado o sangue por Cristo.

Por muito que seja grande o número de Santos que a Igreja celebra ao longo do calendário litúrgico, é muito maior o numero daqueles cristãos de quem nem sequer sabemos o nome ou os méritos que estão junto de Deus. Neste dia 1 temos a oportunidade de recordá-los a todos.

Quantos santos de todas as idades, raças, cores, origens, condições sociais… 
Quantos homens e mulheres que se santificaram na Igreja, nos desertos, nos mosteiros, na profissão de todos os dias, nas fábricas, na família, entre os pobres, no abraço aos doentes, na educação dos jovens... 
Quantos filhos de Deus que viveram uma vida humilde, notada por poucos e desconhecida à maioria. Provavelmente até conheceste alguns. Provavelmente alguns até são da tua família. 
A todos estes Deus recompensou com o maior de todos os dons: a felicidade eterna ao Seu lado!
É para honrar todos estes que celebramos a festa de hoje!

Mas esta festa também tem outro grande objetivo: despertar em nós o desejo de santidade! Recordar todos os que foram fiéis e por isso estão com Deus para sempre, na alegria que não acaba nunca, deve fazer crescer em nós a vontade de os imitar para podermos partilhar a mesma alegria. No que toca à santidade não chega celebrar, é preciso imitar!

Recentemente o Papa Francisco escreveu um documento chamado Alegrai-vos e exultai que é uma Exortação Apostólica sobre o chamamento à santidade no mundo atual. É um texto pequeno e simples que deves ler. O Papa recorda como é belo ser santo e o caminho a percorrer para lá chegar. Vale mesmo a pena!

Terminamos com uma citação desse documento: “na vida existe apenas uma tristeza: a de não ser santo” (nr. 34).

Vamos à festa do Paraíso!

Bom feriado!