14
Sex, Dez

JMJ: Anúncio antecipado da visita do Papa a Portugal causa mal-estar

Igreja
Tipografia

O Papa preparava-se para anunciar que as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ) se iriam realizar em Portugal em 2022. O anúncio estaria marcado para as Jornadas da Juventude a realizarem-se em Janeiro, no Panamá. Mas a notícia foi avançada com mais de um mês de antecedência pela Religiononline e esta fuga criou uma desconfiança entre a Igreja Católica e a Presidência da República.

O anúncio não foi bem recebido pelo clero que revelou que o anúncio devia ser feito pelo Sumo Pontífice no Panamá e confirmado pelo cardel-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente. Mas o anúncio foi feito em avanço e criou instabilidade entre a Igreja Católica que desconfia que tenha sido a Presidência da República a quebrar o segredo.

Marcelo Rebelo de Sousa, que é um confesso católico, vai participar nas jornadas do Panamá, o que leva a Igreja a desconfiar que a fuga tenha vindo da Presidência.

Segundo a imprensa portuguesa Marcelo Rebelo de Sousa terá ficado surpreendido com anúncio

A Religionline, que cita "várias fontes eclesiásticas" afirmou que, no Panamá, o cardeal-patriarca da capital portuguesa, "acompanhado de uma delegação de jovens portugueses e de Lisboa, receberá a cruz das jornadas - o mais importante símbolo das Jornadas Mundiais da Juventude, que os jovens do país de acolhimento transportarão e que servirá de centro para diferentes iniciativas, ao longo do tempo de preparação.

O cardeal-patriarca de Lisboa oficializou o pedido para receber a JMJ no final de 2017 e desde 2012 que em várias reuniões do Conselho Pontifício para os Leigos (CPL), do Vaticano, a hipótese de Portugal tem estado a ser pensada, segundo o 'site'.

As anteriores edições da JMJ realizaram-se em Colónia, na Alemanha, em 2005, Sidney, na Austrália, em 2008, em Madrid, em 2011, com o papa Bento XVI, no Rio de Janeiro, em 2013, e em Cracóvia, na Polónia, em 2016, com o actual pontífice.

TN – Redação

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS