17
Qui, Out

Top Stories

Até o século XIX não havia a padronização da afinação, e era comum que órgãos de igreja tivessem afinações muito diferentes entre si 

 Álbum foi o último a ser gravado pelos Beatles, marcando o fim da trajetória do quarteto de Liverpool. 

A presidente da Sociedade Cabo-verdiana de Música, Solange Cesarovna, vai representar Cabo Verde no VI Fórum Mundial da Música, realizado pelo Conselho Internacional da Música na UNESCO em Paris, França, de 28 de Setembro a 01 de Outubro próximo.

O presidente da Sociedade Cabo-verdiana de Autores (SOCA), Daniel Spínola, defendeu hoje uma "política nacional" de promoção da música nacional e que as rádios e televisões passem metade dos géneros do país.

Os artistas cabo-verdianos Dino d´Santiago,  Nélson Freitas, Djodje, Jennifer Dias, Elida Almeida e Josslyn estão nomeados para o ‘African Entertainment Awards USA’,  cuja gala acontece a 19 de Outubro, em Nova Jersey (EUA).

Com letra de memes e polémica quanto ao seu género musical, sucesso de Lil Nas X passou 17 semanas consecutivas no topo da parada da Billboard.

Ruanda abriu a primeira instalação de fabricação de smartphones na África. 

A atriz cabo-verdiana Vitalina Varela, protagonista do filme que leva o mesmo nome, do realizador português Pedro Costa, foi distinguida com o Leopardo de Melhor Interpretação Feminina no Festival Internacional de Cinema de Locarno na sexta feira passada.

A gigante de telecomunicações chinesa Huawei lançou seu novo sistema operacional, chamado "HarmonyOS". Projetado para equipar seus dispositivos conectados, permite que a Huawei supere as sanções dos EUA, que bloqueiam seu acesso ao Android, seu sistema original.

 O número de unidades vendidas no primeiro trimestre de 2019 caiu 30% se comparado ao mesmo período do ano anterior.

O ministro das Finanças, Olavo Correia, disse hoje que, mesmo estando a iniciar com a tecnologia de quarta geração (4G), o país quer ser dos primeiros em África a implementar o 5G "tão cedo quanto possível".

O ministro falava, na cidade da Praia, na abertura de uma conferência sobre as redes de quinta geração (5G), organizada pela Agência Reguladora Multissetorial da Economia (ARME), em parceria com a multinacional chinesa Huawei.

"O Governo tudo fará para criar as condições para que Cabo Verde possa ser dos primeiros países em África a ter o 5G e queremos contar nesta empreitada com a forte parceria do Governo da China e, em particular, com a empresa Huawei", disse o também vice-primeiro-ministro.

Segundo o governante, a ideia é introduzir o 5G no país "de forma faseada, programada e progressiva", não tendo necessariamente de começar em todas as ilhas ao mesmo tempo.

"Os técnicos vão analisar o assunto e vão propor ao Governo qual seria a melhor forma de abordar a matéria para que possamos introduzir tão cedo quanto possível o 5G em Cabo Verde", prosseguiu o ministro, para quem a ambição é "fazer de Cabo Verde um país digital".

A conferência sobre o 5G foi realizada numa altura em que Cabo Verde está a experimentar a introdução do 4G.

Questionado se o país não está a "queimar etapas" no assunto, Olavo Correia explicou que o mundo está a avançar de uma "forma estonteante", a velocidade é uma questão-chave e o país é que tem de adaptar ao contexto e à velocidade do mundo.

"Não podemos ajustar o mundo à nossa velocidade, nós é que temos de ajustar a nossa velocidade à velocidade do mundo", mostrou o titular da pasta das Finanças de Cabo Verde, considerando que o 5G é uma "oportunidade" para os pequenos países.

O presidente da Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME), Isaías Barreto, disse também que falar da rede móvel de quinta geração "faz todo o sentido", mesmo numa altura em que o país está a começar a introduzir o 4G.

"Faz todo o sentido porque o lançamento do 4G pode servir de rampa de lançamento para o 5G. Quanto temos a rede de quarta geração implementada, a migração, a passagem para o 5G fica mais facilitada, ou seja, podemos capitalizar os investimentos feitos na rede de quarta geração para avançarmos para 5G", explicou.

Para o responsável da agência reguladora, Cabo Verde tem de ter uma "visão de futuro", planear e tomar decisões agora para, numa fase seguinte, avançar com o 5G.

"Estamos aqui para analisarmos e estudarmos a melhor abordagem para o 5G em Cabo Verde. Não podemos esperar daqui a cinco, seis, sete anos para começarmos a fazer o nosso planeamento", prosseguiu.

O presidente avançou ainda que a ARME está a realizar um estudo, em parceria com a Huawei, que irá dar "pistas importantes" e proporcionar uma "visão mais clara" sobre como deverá ser o 5G em Cabo Verde, que políticas públicas e estratégias de gestão do espetro tecnológico.

"Na área das tecnologias de informação e comunicação, nós temos de ser autênticos atalaias noturnos, temos que ter uma vigilância tecnológica, uma visão de futuro e não ficar acomodados. E é isso que estamos a evitar com a organização deste evento", salientou Isaías Barreto.

Para já o presidente da ARME preferiu não apontar valores para os custos da implementação do 5G, mas salientou que é uma rede nova que requer "avultados investimentos", mas que serão diminuídos já que o país já vai ter a rede de quarta geração implementada.

Subordinado ao tema: "Promovendo a 5ª Geração de Comunicações Móveis em Cabo Verde", a conferência contou com a presença de Alvin Dong, presidente da Huawei para Região Norte e Oeste de África.

O responsável sublinhou o facto de ser o primeiro fórum sobre o 5G em toda a região e garantiu que a Huawei vai disponibilizar assistência técnica a Cabo Verde na realização dos testes.

A conferência juntou os principais intervenientes do setor das comunicações, nomeadamente o Governo, os operadores, o setor privado e as universidades.

Pretende poupar a bateria do seu telemóvel? Nós ajudamos.

Inicia-se mais um final de semana. E eis que a nossa equipa preparou para si algumas sugestões de músicas, espetáculos e teatro, com grandes artistas nacionais.

Em Mindelo, a Associação Mindelact anuncia programa da XXV Edição do Festival de Teatro que vai de 7 a 16 de Novembro este ano a comemorar as bodas de prata.

O escritor e poeta Jorge Carlos Fonseca, atual Presidente da República de Cabo Verde, venceu o Prémio Literário Guerra Junqueiro, a atribuir em 2020, por “deliberação unânime do júri”, anunciou hoje o próprio chefe de Estado.

Governo vai agraciar a actriz cabo-verdiana Vitalina Varela com medalha de primeiro grau de mérito cultural.

Neste dia em que cantora Cesária Évora completaria 78 anos se estivesse viva, a empresa multinacional de serviços online e software dos Estados Unidos, Google faz um reconhecimento a Diva dos Pés Descalços. 

Cesária Évora é, sem dúvida, a cantora cabo-verdiana de maior reconhecimento internacional de toda a história da música popular cabo-verdiana. Se ela estivesse viva faria hoje, 27 de Agosto, 78 anos.

Coaching