21
Ter, Jan

Conheça a programação das cerimónias fúnebres de Giovani Rodrigues

Sociedade
Tipografia

O corpo do malogrado Giovani Rodrigues segue esta tarde para a ilha do Fogo num voo da Binter e deverá chegar a São Filipe por volta das 17 horas. 

 

Os restos mortais do jovem mosteirense, morto violentamente em Brangança, Portugal, chegaram ontem daquele país e estavam em câmara ardente na cidade da Praia desde ontem. 

Segundo podemos apurar junto do pároco da paróquia de Nossa Senhora de Ajuda, Padre Egídio Santos, está já tudo organizado desde hoje até sábado dia do funeral. 

Hoje haverá uma caravana de mosteirenses no aeroporto de São Filipe para receber o corpo acompanhá-lo em oração até Mosteiros. 

Já nos Mosteiros, depois de uma curta passagem na casa da sua avó, o corpo será levado para a  capela Nossa Senhora de Fátima em Fajanzinha onde será rezada a oração das vésperas. Depois da oração o corpo irá para a casa mortuária do Centro de Saúde dos Mosteiros até sexta feira. 

Na sexta feiro, dia 17, os restos mortais de Giovani serão transladados do Centro de Saúde para a Capela de Fajanzinha onde haverá uma vigília de oração que decorrerá, com o corpo presente, durante toda a noite. A vigília será animada pelo jovens escuteiros, acólitos e por membros das várias comunidades da paróquia e por outros grupos.  

No sábado, dia 18, dia do funeral, às 9 horas haverá  um grande cortejo com saída da da casa da avó em Fajanzinha, fazendo uma breve paragem na casa dos pais em Queimada Quincho. 

Depois desta curta paragem o cortejo segue para uma homenagem no átrio da Câmara Municipal dos Mosteiros. Nessa homenagem vai haver atuação musical do grupo ao qual Giovani pertencia, os Beatzboys e de mais um grupo dos Mosteiros, o Pró-cultura. Antes de seguir para a igreja matriz vão usar da palavra o delegado do Ministério da Educação dos Mosteiros, o representante do grupo musical Beatzboys, o Presidente do Instituto Politécnico de Bragança e o Presidente da CMM. 

Da Câmara Municipal o feltro seguirá para a igreja matriz onde haverá a Missa de corpo presente presidida pelo pároco, padre Egídio Santos. Pela pequenez da igreja e pela moldura humana esperada a Missa será campal. No final da Missa, antes do cortejo seguir para o cemitério, ainda usarão da palavra o pároco, um representante dos acólitos, um do grupo coral, dos escuteiros e o próprio pai de Giovani.  

Após tudo isso, sempre em cortejo, o corpo será dado à terra, 21 anos depois de ter visto a luz. 

 TN - Redação