24
Qui, Jun

Covid-19: Cabo Verde recebe 50 mil doses da vacina chinesa Sinopharm na sexta-feira

Actualidade
Tipografia

Cabo Verde recebe na sexta-feira 50 mil doses da vacina chinesa Sinopharm, permitindo elevar o ‘stock’ das vacinas disponíveis contra a covid-19 para serem aplicadas até agosto para 200 mil doses, disse hoje o ministro da Saúde.

De acordo com Arlindo do Rosário, Cabo Verde tem atualmente 150 mil doses de vacinas contra a covid-19 para serem administradas, incluindo o donativo da Hungria, que na terça-feira entregou 100 mil doses da vacina da AstraZeneca às autoridades cabo-verdianas.

“Na sexta-feira iremos receber mais 50 mil doses da vacina Sinopharm, teremos uma disponibilidade de aproximadamente quase 200 mil vacinas para serem aplicadas até agosto”, afirmou o ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, em declarações depois de visitar um dos centros de vacinação na cidade da Praia.

“Se nós continuarmos nos próximos meses, mesmo depois de agosto, a ter mais vacinas, e estamos a trabalhar para isso, acredito que até final do ano, sim, teremos 70% da população elegível vacinada”, acrescentou.

Cabo Verde já vacinou com pelo menos uma dose das vacinas disponíveis no arquipélago (AstraZeneca e Pfizer) cerca de 33 mil pessoas, equivalente a 10% da população elegível (330 mil pessoas com mais de 18 anos) para o processo de vacinação, sendo objetivo do Governo atingir uma taxa de cobertura de 70% até final do ano.

Cabo Verde também recebeu na semana passada 31.200 doses da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 pelo mecanismo Covax, no âmbito de um donativo da França.

Segundo Arlindo do Rosário, a adesão da população à vacinação tem vindo a aumentar e os receios iniciais com a vacina da AstraZeneca, a única disponível em grande quantidade no país, deixaram de existir.

“Em relação a alguma desconfiança [sobre a segurança das vacinas] existente inicialmente, praticamente desapareceu. As pessoas estão a ver que a vacina é uma vacina segura, os efeitos colaterais adversos são insignificantes ou muito poucos, e a taxa de adesão tem sido muito boa. Nós queremos é que cada vez mais, tendo essa possibilidade, que as pessoas adiram ao processo, por forma a termos um país efetivamente seguro”, disse ainda.