27
Dom, Set

Portugal: Gestor privado de Isabel dos Santos encontrado morto

Internacional
Tipografia

Nuno Ribeiro da Cunha, gestor privado de Isabel dos Santos e diretor do Private Banking do Eurobic, foi encontrado morto na noite desta quarta-feira dentro de uma garagem, numa zona residencial do Restelo, em Lisboa, capital portuguesa.

“Na sequência da chamada do apoio médico ao local, os polícias da Polícia da Segurança Pública (PSP) de Portugal encontraram Nuno Ribeiro da Cunha, de 45 anos, que alegadamente terá cometido suicídio na garagem, pelo método de enforcamento, confirmando-se o óbito após manobras de reanimação por parte dos meios de socorro”, descreve o comunicado da PSP enviado à redação.

O alerta foi dado às 21h30 e no local estiveram os bombeiros e PSP.

No mesmo texto pode ler-se que “foi possível apurar que o homem teria historial de tentativa de suicídio durante o presente mês”.

A 7 de janeiro Nuno Ribeiro da Cunha tinha sido encontrado com sinais graves de violência e levado para o hospital. Segundo apurou a Renascença na altura, foi encontrado pela mulher, na casa de férias em Vila Nova de Mil Fontes, inconsciente, com cortes nos pulsos e uma facada no abdómen.

Em declarações à emissora católica portuguesa, Rádio Renascença, o diretor nacional da Polícia Judiciária, Luis Neves, confirma que está excluído o cenário de crime. “Os elementos que temos, que não são só do dia de hoje, apontam para que não haja a intervenção de terceiros”, refere Luis Neves.

O diretor do private banking do EuroBic validou as transferências milionárias da conta da Sonangol no EuroBic para o Dubai, um dos casos no centro do escândalo Luanda Leaks.

Recorde-se que o procurador-geral angolano admitiu emitir um mandado de captura internacional contra Isabel dos Santos e os seus colaboradores.

O Luanda Leaks detalha esquemas financeiros da empresária angolana e do marido que lhes terão permitido desviar dinheiro do erário público angolano, utilizando paraísos fiscais.

 

A empresária Isabel dos Santos disse estar a ser vítima de um ataque político orquestrado para a neutralizar e sustentou que as alegações feitas contra si são "completamente infundadas", prometendo "lutar nos tribunais internacionais" para "repor a verdade".

 

TN com informações da Rádio Renascença