22
Sex, Mar

Um exemplar de uma das espécies endêmicas de tartaruga gigante do arquipélago equatoriano de Galápagos, considerada extinta há um século, foi encontrada em uma expedição na Ilha Fernandina, informou na terça-feira (19/2) o ministro do Meio Ambiente daquele país, Marcelo Mata.

Estudantes de mais de 80 países pedem nesta sexta-feira (15) medidas para combater a mudança climática. Movimento faz parte de nova tendência recente. Uma greve mundial (#strikeforclimate) de estudantes foi marcada para sexta-feira (15).

O movimento é liderado pelo grupo internacional Juventude pelo Clima, que reivindica que os governos ajam para combater a mudança climática. Urgente para crianças e jovens do grupo, o avanço do aquecimento global está “roubando o futuro” da população, ameaçada pela iminência de desastres naturais e conflitos sociais ainda mais intensos em relação a hoje.

É o que afirma a líder dos protestos, a sueca Greta Thunberg, de 16 anos. Articulada nas ruas e nas redes sociais, a greve, que tem apoiadores em cerca de cem países (em Cabo Verde não houve adesão), pode se tornar a maior manifestação de uma série de iniciativas pelo meio ambiente que jovens têm liderado ao redor do mundo nos últimos anos.

Os manifestantes fazem pressão sobre governos para que cumpram com as metas do Acordo de Paris, tratado internacional do clima assinado em 2015. A greve faz parte ainda de uma tendência recente e mundial de jovens que têm se mobilizado em torno de grandes temas sociais de longo prazo (como a crise do clima) e sobre os quais a juventude não é chamada a falar.

 

A origem do protesto e o papel de uma estudante

A greve mundial desta sexta-feira faz parte das “Sextas para o futuro”, ou #FridaysForFuture, hashtag em inglês que desde meados de 2018 tem incentivado, nas redes e nas ruas, a articulação de greves estudantis como forma de pressionar autoridades no combate à mudança do clima.

 A ação teve início após a ativista Greta Thunberg, então com 15 anos e desconhecida, ter boicotado suas aulas em uma sexta-feira e levar um cartaz com a frase “greve estudantil pelo clima” a um protesto solitário diante do parlamento em Estocolmo, na Suécia. Era 20 de agosto de 2018, e Greta exigia do país as medidas que tinham sido objeto de acordo no tratado de Paris. Antes previsto para acontecer num dia — e voltar a ocorrer semanalmente, sempre às sextas —, o primeiro protesto de Greta se prolongou por três semanas seguidas. Atraindo atenção por meio de posts no Instagram e no Twitter, ela pôde espalhar suas ideias e articular com mais estudantes novos protestos e ações pelo clima.

Ao lado de outros jovens, Greta faz duras críticas ao que considera falta de ação de gerações anteriores diante de uma ameaça antiga sobre a mudança climática e diz que é preciso pensar um modelo econômico não poluente, livre especialmente da dependência de combustíveis fósseis (como petróleo, carvão mineral e gás natural).

Nesta quinta-feira (14), ela foi indicada ao Nobel da Paz, prêmio que deve ser concedido em dezembro de 2019. Ao lado dela, concorrem 301 outras pessoas e 78 organizações. “Propusemos [Greta ao Nobel] porque, se não fizermos nada para parar a mudança do clima, ela irá nos causar conflitos”, disse o parlamentar norueguês Freddy André Øvstegård. “[A ação de Greta] é uma contribuição para a paz.” A crise do clima CAUSAS Atividades como a queima de combustíveis fósseis (derivados do petróleo, carvão e gás natural) para a energia, a indústria e os transportes — além da agropecuária, do descarte de lixo e do desmatamento — emitem grande quantidade de gases que acarretam no efeito estufa.

Os principais são o metano, o óxido nitroso e o gás carbônico (CO₂), que hoje representa mais de 70% das emissões. EFEITOS O efeito estufa é um fenômeno natural que ocorre a partir da ação de uma camada de gases — entre eles, metano e gás carbônico — na atmosfera. Esses gases retêm parte da radiação solar que chega à Terra e, com isso, impedem que o planeta seja frio demais.

A emissão de gases formadores do efeito estufa pelas atividades humanas tem tornado a camada mais espessa, o que leva a mais retenção de calor. É o agravamento do efeito estufa que causa o aquecimento global, principal evidência da mudança do clima.

A expressão “mudança climática” é um sinônimo mais abrangente de aquecimento global. 1ºC foi o quanto a temperatura média do planeta já aumentou em relação ao período pré-industrial, antes do século XIX. PREVISÕES Em 2018, um relatório do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) das Nações Unidas afirmou que a temperatura média mundial pode aumentar 0,5ºC em uma década se as emissões de CO₂ não sofrerem cortes imediatos. Se isso não ocorrer, o evento pode piorar o quadro de tempestades, incêndios florestais, secas e enchentes que têm se intensificado, diz o texto. Greta Thunberg fala em ameaça existencial à humanidade.

O Acordo de Paris de 2015 busca reverter esse cenário, com a meta de eliminar emissões de poluentes até 2030.

TN - Redação


 

 

 

 

 

 

Um plano de regulamentação da União Europeia (UE) para proibir produtos plásticos descartáveis, como pratos descartáveis e palhinhas, foi aprovado em Bruxelas nesta quarta-feira (19/12). Espera-se que a medida, uma vez aprovada pelo Parlamento Europeu e os países-membros, entre em vigor em dois anos.

Mais artigos...