24
Sex, Nov

A fadiga e a alegria de ganhar um irmão

Liturgia
Tipografia

XXIII Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Roteiro litúrgico para as comunidades

 

 

A fadiga e a alegria de ganhar um irmão 

 

Introdução geral 

Animador: Bem vindos, irmãos e irmãs! Paz e bem! 

A liturgia de hoje enfoca o tema da correção fraterna. Em todas as leituras deste dia, a palavra de Deus vem insistir que somos responsáveis uns pelos outros e devemos ser um suporte para os fracos, indecisos, tíbios, apáticos na fé e no seguimento de Jesus. 

Pouquíssimas pessoas têm coragem de advertir alguém de que ele está errado. É mais fácil condenar, humilhar, fofocar ou ser indiferente. Porém, a Bíblia afirma e reafirma a responsabilidade de uns para com os outros. Deus nos pedirá contas da vida de nossos irmãos e irmãs. Por isso, hoje, quando ouvirmos a sua voz, não endureçamos o nosso coração. 

 

Liturgia da Palavra 

1ª Leitura: Ezequiel 33-7-9

2ª Leitura: Romanos 13,8-10

EVANGELHO: Mateus 18,15-20

 

Reflexão 

Nunca sem o outro. Tema da primeira leitura: “fiz de ti sentinela, custódio, voz para os teus irmãos”. Tema de Paulo: "Amarás ao próximo como a ti mesmo. A caridade não faz mal ao próximo". Numa sociedade de competição, o cristão é diferente: é guarda, devedor, intercessor dos outros. Não um pretendente, mas um devedor grato. Em relação aos pais, aos amigos, aqueles que te fazem viver porque te querem bem. 

 Numa sociedade onde o homem é só um ser social, o crente diz que isto não basta, “que onde dois ou três estão reunidos no nome Cristo, ali está o próprio Cristo”, Deus semeado nos sulcos da humanidade. 

Quando dois ou três se olham com piedade e verdade, ali está Deus. Quando um homem diz a uma mulher: tu és carne da minha carne, vida da minha vida, ali está Deus, coração do seu coração, nó dos amores, ligação das vidas. Quando um pai ou uma mãe se olham e se escutam com amor, ali está Deus. Quando um amigo paga ao amigo o débito do recíproco afeto, ali está Cristo, o homem perfeito, o fim da história humana, ponto focal dos desejos, alegria dos corações, plenitude das aspirações, força que te faz partir, energia que te põe em caminho em direção ao teu irmão: “se o teu irmão comete um pecado, tu vai…” sai, toma o caminho, bate á sua porta. Deus é uma estrada que nos leva uns aos outros.    

Se teu irmão erra, “tu vai”, “tu” aproxima-te, “tu” caminha para ele. O que me autoriza a intervir na vida do outro? Só esta palavra: irmão. Somente se levas o peso e a alegria do outro, se conheces as suas lágrimas, se és seu irmão, estás autorizado a admoestá-lo. O que nos autoriza não é a verdade, as a fraternidade.   

Os cristãos são aqueles que praticam a verdade no amor. Aqueles que não separam nunca verdade e amor. Para não os fazer morrer. 

“Se te escuta, ganhaste teu irmão”. Este verbo é estupendo: o irmão é um ganho, um tesouro para ti e para o mundo, um talento, uma riqueza, para Deus e para a terra. Por isso um célebre dito hebraico assegura: “quem salva um só homem, salva o mundo inteiro”.

“Aquilo que desligareis”,  então,  como ele que desligou Lázaro das ligaduras da morte, e aquilo que ligareis, como eles ligou a si homens e mulheres capazes de apostar sobre o invisível e sobre a cruz, “aquilo que desligares” terás liberdade para sempre, “aquilo que ligareis” terá comunhão para sempre. Porque Deus dá eternidade a tudo aquilo que mais belo semeastes no mundo. 

 

Preces da comunidade

Animador: Confiantes na promessa “onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estarei o meio deles”, apresentemos nossas preces, dizendo: Senhor, atendei nossa prece confiante!

1 – Pela Igreja, para que a fraternidade firmada no amor contagie a toda a humanidade, rezemos.

2 – Pelas famílias, para que o diálogo seja a maneira de superar as dificuldades e que uns ajudem aos outros corrigindo as fraquezas de cada um, rezemos.

3- Para que os membros de nossas comunidades exercitem a tolerância em seus grupos de ação e, ali, vivam e demonstrem uma profunda união fraterna, rezemos.

4 – Pelos nossos governantes, para que trabalhem e se preocupem com o bem de todos, para que todos os cidadãos possam alcançar os bens necessários para uma vida digna, rezemos.

 

Ofertório  

Animador: A Eucaristia é prova da fraternidade. O amor que une a Santíssima Trindade é modelo para nossas vidas, nossas famílias e para todos os homens e mulheres de boa-vontade. Cantemos.

 

TN-redação